segunda-feira, 21 de julho de 2008

NUNCA ESTIVE NUMA SITUAÇÃO COMO AQUELA

Por: Gelson Junior - Cabo Frio RJ

Chamo-me Gelson e sou Guarda-Vidas de Cabo Frio, Região dos Lagos, Estado do Rio de Janeiro. Normalmente, os GVs de Cabo Frio não têm postos fixos, assim constantemente estamos oferecendo segurança aos banhistas em praias e postos variados.
Certo dia estava em meu posto quando avistei (6) seis pessoas em uma Corrente de Retorno (RN) precisando de ajuda, se afogando, eram três moças e três rapazes. Corri e nadei até aos afogados o mais rápido que pude.
Quando cheguei até eles, me dei conta que estava somente com uma nadadeira, mas contando com o meu excelente preparo físico e experiência em outros socorros, agarrei duas das três moças de uma só vez, com uma das mãos, as duas moças mais leves e com a outra a mais pesada.
Hora fazia pernada de water polo, hora pernada de peito e hora ainda, pernada de crawl. Vale lembrar que nunca estive numa situação como aquela: (sozinho e com seis pessoas precisando de ajuda imediata).
Enquanto fazia de tudo para manter as três afogadas sobre a água, os outros três rapazes iam sendo levados pela Corrente de Retorno, quando me dei conta e olhei para a praia, todos estavam de pé assistindo o que se passava. - Alguém poderia ter tido, não digo nem coragem, mas o lampejo de pelo menos jogar uma bóia ou uma prancha ou mesmo uma bola para os rapazes que estavam em apuros.
Por sorte, certo amigo passa na areia da praia, naquele momento, com sua prancha e viu o que estava ocorrendo. Ele entrou no mar e deu a sua prancha para servir de apoio para os três rapazes que estavam passando o maior sufoco, talvez o maior da vida deles.
Foi o tempo necessário para tirar as moças da Corrente de Retorno, com a ajuda do próprio mar, que por hora se apresentava como algoz, mas agora como ajudante, chegarmos à areia. Elas, graças, não precisavam de 1ºs socorros imediatos.
Ao chegar à areia voltei imediatamente para dentro d’água para prosseguir na minha missão de “Salvar Vidas Humanas”, pois ainda restavam três pessoas no mar e precisavam de meu auxílio. Conclusão: Graças a Deus!
Deus mais uma vez esteve comigo e acredito não somente comigo, mas com todos aqueles que se dedicam no árduo serviço de salvar vidas. Deus como sempre, estará comigo. Naquele dia eu estava com apenas uma nadadeira e, graças não houve fatalidades, mas uma coisa muito importante é trabalhar sempre bem equipado.
Aqui fica a história e a advertência de um Guarda-Vidas com vários anos de experiência, trabalhe sempre equipado, pois você nunca sabe o que te aguarda em um dia de trabalho...
Você, que leu este relato, quando estiver passando por aqui na Praia do Forte, (Cabo Frio – RJ) aproveite para dar uma paradinha e treinarmos um pouco.
Aloha!!

Um comentário:

Maria disse...

Boas!

Sendo nadador salvador, gostaria de saber como posso adquirir o manual de salvamento no mar?