quarta-feira, 15 de abril de 2009

Escola municipal de surf: educação para prevenção dos acidentes no mar


O Projeto Surf foi implantado em 2006, pela Secretaria de Educação de Balneário Camboriú, que disponibilizou três professores para ministrar as aulas teóricas e práticas. A Secretaria também adquiriu 20 pranchas de surf, e todos os acessórios necessários para a prática do esporte, como roupas de neoprene, camisetas de lycra e parafina. Com o objetivo de promover a integração dos estudantes da Rede Municipal com um dos esportes mais característicos do município, o projeto já oferecia 6 turmas por dia. As turmas formadas por até 12 alunos, e as aulas, com duração de uma hora, acontecendo uma vez por semana, no contra turno das aulas regulares, e realizadas na altura da Rua 1101, próximo ao posto salva-vidas nº2, na Praia Central de Balneário Camboriú.

No dia 2 de março de 2009, o dia amanheceu movimentado na Praia Central, no local da Escolinha Municipal de Surf, onde os alunos dos Centros Educacionais Municipais, muitos deles acompanhados dos pais, faziam suas inscrições para o Projeto Surf e Petrobras Mini-Hand. As vagas foram preenchidas rapidamente, encerraram no dia 18. Aqueles que fizerem a inscrição após esta data, ficam em lista de espera.
video
No dia 24 de março, terça-feira, no período matutino (9h às 11h) e vespertino(14h às 16h), os alunos da Escola Municipal de Surf de Balneário Camboriú estiveram no CEM Ariribá, com os Professores apresentando o cronograma de aulas para o primeiro semestre escolar। As aulas que ocorrem de terça à sexta-feiras, contabilizam 288 vagas preenchidas.

Neste mesmo dia, além da apresentação do cronograma esportivo da Escola Municipal de Surf, a aula inaugural contou com a presença do Professor Osni Guaiano que abordou os temas principais de prevenção de afogamento para as crianças, fortalecendo assim a temática principal desta equipe de surf, a segurança

Com o tema “Educação para Prevenção dos Acidentes no Mar”, a Coordenação de Educação Física promoveu a palestra com a meta de oportunizar aos participantes do Projeto Surf, o conhecimento sobre os cuidados e perigos no mar, prevenindo-os de situações que envolvem o afogamento, além de conscientizar a criança e o jovem quanto aos problemas causados pela má preservação ambiental, tornando-os assim melhores cidadãos. O salvamento e o socorrismo surgem como proposta plenamente vinculada à educação, sobretudo educação para a vida.


Professores de Educação Física do Projeto Surf: Rodrigo Mainieri, Alysson Lang, Luiz Meneghelli, Gustavo Leipnitz e Mario Martins, com o Profº Osni Guaiano na palestra. (Coordenação de EF – SEDUC: Prafa. Anelise Gamba)




Aula do dia 02 de abril – conhecimentos sobre os tipos de pranchas.


segunda-feira, 13 de abril de 2009

RISCOS POTENCIAIS COSTEIROS ASSOCIADOS À SEGURANÇA DE BANHO NA PRAIA DO CASSINO, RS: ANÁLISE DE FATORES MORFODINÂMICOS E SOCIAIS

Resumo

As praias são ambientes altamente energéticos e dinâmicos, onde a cada nova condição ambiental reinante há um novo estado de equilíbrio morfodinâmico. Este dinamismo pode por em risco a segurança dos banhistas, uma vez que as novas condições morfodinâmicas podem gerar situações propícias a acidentes de banho. A praia do Cassino, RS, pode ser considerada um dos principais balneários do litoral gaúcho, uma vez que nos meses de verão atrai milhares de turistas do Brasil e América Latina. Desta forma, durante os verões 2006 e 2007 foram coletados dados morfodinâmicos, imagens do Sistema Argus e analisados dados de resgate de acidentes de banho para a praia do Cassino com o objetivo de identifcar as situações mais propícias à ocorrência deste tipo de acidente. Há registro de elevada diversidade de formas e posições de morfologias subaquosas como bancos íngremes, cavas profundas e mega‐ripples nos perfis praiais, onde também foram identificadas formação, destruição e migrações do sistema banco‐cava em curto período de tempo. Os estágios praiais intermediários foram identificados como os mais perigosos, uma vez que nestes estágios foram identificadas grandes variabilidades na morfologia subaquosa e as alturas de onda, em sua maioria, foram inferiores a 1m. Através da análise de imagens do Sistema Argus foram identificadas feições morfológicas que potencialmente desenvolvem correntes de retorno associadas à tridimensionalidade praial dos estágios morfodinâmicos intermediários. Os jovens com idades entre 6 e 25 anos moradores da própria cidade de Rio Grande foram identificados como o principal grupo de risco quanto aos acidentes de banho. Os resultados também sugerem que os acidentes de banho estão relacionados tanto com os perigos naturais quanto com a atitude dos banhistas, o que implica na necessidade de enfatizar a educação preventiva como uma maneira de reduzir o número de acidentes.

Fonte: MAIA, Natan Zambroni. Riscos potenciais costeiros associados à segurança de banho na praia do cassino, RS: análise de fatores morfodinâmicos e sociais. Rio Grande, 2008. 90f. Monografia (Graduação em Oceanologia) - Universidade Federal do Rio Grande Instituto de Oceanografia Laboratório de Oceanografia Geológica, Rio Grande, 2008.